Apoie a reforma.

A reforma é vital para acabar com privilégios de uma
minoria de funcionários públicos que recebe de cinco a dez
vezes mais benefícios do que a média dos trabalhadores
que se aposentam na iniciativa privada.

Organizações
que apoiam.

Notícias

Para
compartilhar

Reforma da Previdência: Fatos e Números

Por que a reforma
é necessária?

Estagnação do Brasil

Fica muito difícil para o governo conseguir implementar políticas públicas para as pessoas gastando 70% com aposentadorias, benefícios e despesas próprias. Sobrando apenas 30% com todas as outras áreas importantes como educação, segurança e saúde. A economia não evolui sem a reforma, salários não aumentam e o país pode ficar sem dinheiro para o FIES e o Bolsa Família, por exemplo. Isso faz sentido para você?

Crédito de Imagem: Souls via Flickr / CC BY

Diminuir a Desigualdade

Mais da metade dos aposentados pelo critério de tempo de contribuição receberam o benefício antes de completarem 54 anos. E 80% desses casos, a aposentadoria antes dos 54 anos é concedida aos trabalhadores que fazem parte dos que recebem 30% dos maiores salários do país.

Crédito de Imagem: José, para onde? via VisualHunt / CC BY

Distribuição mais justa

Enquanto um trabalhador do serviço privado ganha no máximo 5.531,31 ao aposentar-se pelo INSS, um servidor público do Legislativo ganha em média 28.547,00.

Crédito de Imagem: Holding Hands via Wikimedia Commons / CC BY

Fim dos privilégios

Sem a Reforma o impacto fiscal da Previdência seria de quase 14% do
PIB daqui há dez anos. Com a nova proposta, seu impacto fiscal no gasto do PIB fica de 12,5%. Economizar 1,5% do PIB
significa economizar cerca de R$ 22 milhões. Já pensou em quanta bolsas do FIES, quantas Bolsas Família, hospitais, escolas e creches podem ser feitas com essa quantia?

Crédito de Imagem: Suit via Unsplash / CC BY

Impacto nas Contas

A despesa gerada pelo pagamento das despesas relativas à Previdência dos servidores federais foi, em 2015, 50% maior que a soma dos orçamentos da: Segurança Pública, Habitação, Saneamento, Ciência e Tecnologia, Comunicações, Energia, Transporte, Desporto e Lazer, Cultura, Indústria, Organização Agrária, Comércio e Serviços, Gestão Ambiental e Bolsa Família somados.

Crédito de Imagem: Bank Bills via Pexels / CC BY

Pressione os parlamentares e cobre o apoio para a Reforma da Previdência


Quem você vai pressionar?
Deputados Federais e Senadores do Brasil.

___________________________

Preencha o formulário ao lado e envie automaticamente um e-mail para os Senadores e Deputados Federais para que eles apoiem a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016, de reforma da Previdência Social.

* Ao enviar a mensagem, você fará parte do mailing do movimento Apoie a Reforma.

Exmo,

Conto com o seu voto para aprovar a reforma da previdência: idade de 65 anos e regra igual para todos os brasileiros, como assegura a Constituição!

Já passou da hora de tomarmos uma atitude.

A Previdência, do jeito que está, não pode ficar. É preciso fazer a Reforma já!

Tire suas dúvidas

O que é a reforma da Previdência?

A reforma da Previdência compreende uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC nº 287, de 2016) e projetos de lei (ainda a serem enviados pelo governo), alterando, entre outros, regras de acesso a benefícios, forma de cálculo e financiamento dos regimes previdenciários.

Por que a reforma é necessária?

Com a mudança na estrutura da pirâmide etária brasileira, a reforma é necessária para garantir o futuro das aposentadorias. O Brasil é um país jovem que já gasta muito com previdência, com índices semelhantes ao da Alemanha, que é um país com uma situação demográfica similar à brasileira. Os gastos só tendem a crescer com o aumento de idosos e diminuição de trabalhadores ativos, assim, se a previdência continuar como está, em poucos anos o Brasil estará gastando toda sua arrecadação para pagamento de aposentadorias e pensões, sem poder investir em outras áreas.

Por que se diz que o deficit da Previdência não existe?

O raciocínio varia de acordo com a entidade, mas tem um eixo principal: a contabilidade do Regime Geral de Previdência Social (RGPS) deveria excluir despesas com grupos que contribuem menos e incluir como receitas contribuições que cobrem o deficit, além de levar em conta também receitas perdidas com desonerações ou sonegação. As questões seguintes detalham a controvérsia.

Por que retirar os servidores públicos municipais e estaduais da Reforma?

Esses servidores públicos não serão mais retirados da proposta, caberá aos governadores, num prazo de seis meses, aprovar nas Assembleias Legislativas Estaduais o Regime Próprio de Previdência Social para os servidores do seu estado. Caso não haja essa tramitação no prazo estabelecido, passarão a valer as regras federais.

Trabalhadores da iniciativa privada serão mais prejudicados?

Não. Todos estarão condicionados a mesma regra, fazendo com que os mais afetados pelas mudanças seja justamente os trabalhadores que não estão no setor privado, dado que estes não possuem tantos benefícios diferenciados. Por outro lado, as demais categorias como políticos: governadores, deputados, vereadores, prefeitos, servidores, etc, sofrerão maior impacto pois estarão condicionados às mesmas regras dos trabalhadores comuns. Isto reduzirá a desigualdade e ajudará na recuperação financeira do nosso sistema de previdência.

O que é e como funcionará a regra de transição?

A partir da promulgação da PEC, a regra de transição que trata dos trabalhadores que estão contribuindo no atual sistema mas ainda não atingiram os requisitos para se aposentar, valerá para homens acima de 50 anos e mulheres acima dos 45 anos: serão acrescentados 50% sobre os tempo restante da regra antiga. Ou seja, se pela regra atual faltam 2 anos para sua aposentadoria, com a mudança faltarão 3 anos (2 anos que faltavam mais 50% do total).

Quer manter
contato com a
gente e fazer
parte da mudança
do nosso país?

Cadastre seu email e fique por dentro de tudo o que estamos fazendo.

Siga-nos também nas
nossas Redes Sociais

Você também pode nos
mandar sua mensagem

Quem assina
o movimento.

O Apoio a Reforma é um movimento apartidário que visa
mobilizar cidadãos em favor às reais mudanças estruturantes
do Brasil.

Nós somos agentes de mudança. Com base nisso, o Movimento
Apoie a Reforma nasce para propor a mobilização da sociedade
e dos parlamentares em busca de uma transformação do atual
sistema previdenciário do nosso País.

Nosso objetivo é “desarmar a
bomba-relógio”
que a atual
Previdência Social se transformou.

Já passou da hora de
tomarmos uma atitude.
Junte-se a nós!

Saiba quem são as
pessoas que apoiam
essa causa.

Saiba quem são

Maílson da Nóbrega
Abílio Diniz
Alexandre Schwartsman
José Cechin
José Márcio Camargo
Luiz Felipe d’Avila
Luana Tavares
Marina Cançado
Andre Gamerman
Ana Carla Abrão
Leandro Piquet
Pedro Bianchi
Vinícius Poit